“Stories” da Socpam

 

Com mais de vinte anos de atuação em Maringá e região, foram muitos os animais que passaram pela Socpam e deixaram sua história, às vezes alegre e às vezes triste. A cachorrinha em destaque e de orelhas enormes e que parecem asas é a Sininho, recolhida com cinomose. Curou-se e foi adotada por uma família no bairro Cidade Alta.

Esta cadela caramelo é a Amarula, que foi recolhida com sarna na porta da Costelaria BR3. Ela se recuperou e foi adotada, apesar de ter perdido a vista direita.
O Chandon foi o primeiro gato recolhido pela Socpam, de um bueiro na Av. Gastão Vidigal. Ficava solto, pois ainda havia poucos cães na chácara do Alvorada. Era muito meigo e interativo. Por não ter sido castrado a tempo, por falta de recursos, saiu da chácara de madrugada e foi atropelado por um Fusca, deixando inconsoláveis os seus cuidadores. Castre seu gato. 
Chandon e Neguinha
O Urutau foi recolhido bem mal. Curou-se e encontrou um lar em um evento de adoção.
Esta gatinha foi recolhida com muita sarna e uma limitação física, mas ficou linda.

O Cazuza é o cão mais antigo na Socpam. Chegou no abrigo do Alvorada por volta do ano 2002. Ainda está vivo, e mora no abrigo do Vale Azul. Deve ter em torno de 17 anos. Nunca foi adotado porque tem um olho vazado e o preconceito falou mais alto, no caso dele.
A Fortunata foi recolhida no estacionamento do Shopping Catuaí muito assustada e suja. Ficou linda e foi adotada, por ser muito mansinha. Mas teve um acidente e caiu por uma fresta, de um andar alto, no prédio onde vivia. Telar todas as aberturas de seu apartamento é necessário para proteger os gatos.
Fortunata
A Lindinha foi jogada no abrigo com esse tumor enorme. A foto dela foi postada e várias pessoas a conheciam, no Sarandi, e denunciaram a sua tutora irresponsável, que não lhe deu assistência médica e ainda a jogou fora. Ela foi operada, ficou bem por um ano, mas depois o tumor reapareceu e ela só viveu mais alguns meses. Enfim, teve o amparo do qual precisava, no fim da vida.
Lindinha
Este patinho foi recolhido com uma fratura grave na pata. Estava em uma gaiola em uma loja agropecuária de Maringá, sendo pisoteado por outras aves, adultas. Foi curado pelo veterinário Dr. Juan que o adotou. O proprietário da loja respondeu a processo por maus-tratos a animais.
Patinho belo
Estes galos índios (de rinha) foram flagrados pela Socpam sendo impropriamente transportados na carroceria de um caminhão. Não houve flagrante de rinha, mas o motorista do caminhão respondeu a processo por maus-tratos, pela forma como estavam sendo transportados e também pelo mau estado dos animais que foram encontrados na residência de onde haviam saído.
A Shakira é uma Labradora que foi abandonada nas proximidades do abrigo com uma cinomose muito avançada: ela nem conseguia tomar água, pois se afogava quando enfiava a cabeça na bacia. Também não andava; só se arrastava. Ficou quase dois meses na Clínica Cãopanheiros, recuperou-se um pouco e depois foi para a casa de uma voluntária. Depois de 4 meses começou a ficar em pé e a andar e não parou mais. Hoje, vive no abrigo.
A Fokinha foi abandonada no abrigo junto com seus irmãozinhos, com alguns dias de vida. Logo percebeu-se que ela sofria da “síndrome do filhote nadador” e que só se arrastaria e não andaria, por causa de uma má formação óssea na bacia e nas patas traseiras. Mas ela fez fisioterapia por meses, com uma fisioterapeuta voluntária, aprendeu a andar e vive feliz, adotada por uma voluntária. Tem uma perninha dura, esticada. Mas ela não sabe disso. Veja as fotos dela em bebê e depois de adulta.