Animais de criação

Os animais “de criação” ou “de produção” são aqueles criados pelos homens e especialmente destinados ao consumo deles próprios ou do que produzem, tal como a carne, o leite, a pele ou couro, a lã, os ovos ou penas, dentre outros subprodutos. São bovinos, suínos, ovinos, caprinos, eventualmente asininos e muares, galinhas, patos, perus, coelhos, dentre outros.

 

A criação desses animais pode ser muito cruel, principalmente quando mantidos em ambientes confinados, superpovoados, sem nenhum espaço de conforto, como ocorre nas granjas de frangos, nas gaiolas de reprodução de porcas, nas quais elas mal podem se mover, sob o pretexto de proteger os leitõezinhos do esmagamento, nos estábulos e no sistema de ordenha mecânica das vacas.

 

 

Como forma de contornar o problema da produção animal, há duas alternativas de vida possíveis, que são: o vegetarianismo e o veganismo.

O vegetarianismo, a rigor, consiste em abolir da alimentação todo tipo de carne animal, seja de boi, cabra, carneiro, porco ou qualquer outro mamífero, de aves, répteis, anfíbios e peixes, além de invertebrados, como camarões, lulas, ostras, escargots; contudo é tolerada a ingestão de ovos, leite e seus derivados, bem como subprodutos animais desde que não tenham incorrido no abate dos mesmos. Algumas dietas próximas do vegetarianismo incluem carnes brancas ou apenas peixes e frutos do mar, além dos produtos de origem vegetal. Porém, estas, implicam na morte dos animais.